Prefeitura Municipal de Erechim - AGER apresenta relatório com todos os problemas de abastecimento de água em Erechim aos diretores da Corsan
Conteúdo

https://www.pmerechim.rs.gov.br//noticia/17598/ager-apresenta-relatrio-com-todos-os-problemas-de-abastecimento-de-gua-em-erechim-aos-diretores-da-corsan

09/02/2023

AGER apresenta relatório com todos os problemas de abastecimento de água em Erechim aos diretores da Corsan

Informações foram repassadas em reunião on-line ao superintendente regional da CORSAN, Adolmir Antonio Santi; diretor de operações, Milton Inácio Cordeiro; assessor jurídico, Matheus Luiz Ferreira

AGER apresenta relatório com todos os problemas de abastecimento de água em Erechim aos diretores da Corsan

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos Municipais de Erechim (AGER), realizou, no dia 1o/ de fevereiro, as 10 horas, reunião on-line, com a diretoria da Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN), em que participaram o diretor-presidente da AGER, Valdir Farina; diretor administrativo e financeiro, Edgar Radeski; agente fiscal de Serviços Públicos Municipais, Marcos Mroczkoska; e o superintendente regional da CORSAN, Adolmir Antonio Santi; diretor de operações, Milton Inácio Cordeiro; assessor jurídico, Matheus Luiz Ferreira. Na ocasião, foram tratados diversos assuntos de interesse público, entre eles, a falta de água e as inúmeras inconsistências na prestação dos serviços ao município de Erechim.

Problemas apresentados

Inicialmente, o diretor-presidente da AGER fez um relatório da situação, mostrando as reclamações de vazamentos nos quadros e hidrantes; falta de água em vários bairros da cidade, principalmente, no bairro Jabuticabal.

Além disso, destacou a falta de profissionais para os serviços de manutenção na rua. “Em 2010, havia mais de 30 servidores, hoje, temos menos de 10 profissionais, sem contar a falta de vigilantes com guarda armada, falta de água na empresa Aurora, que consome praticamente 6 mil metros cúbicos de água por dia, e a preocupação com o abastecimento da cidade, que consome praticamente 20 milhões de litros por dia. O rio cravo é nossa última alternativa, está praticamente seco, conforme fotos apresentadas nesta reunião”, disse o diretor-presidente.

Corsan

O diretor administrativo e financeiro, Edgar Radeski, disse que o superintendente, Adolmir Antonio Santi, se manifestou dizendo que não é para Erechim se preocupar com o abastecimento. “Ele deu a entender que tudo está sob controle e que a Corsan está trabalhando para que não falte água no município, embora a Agência não está tão otimista assim, considerando a forte estiagem e a transposição do rio Cravo, que já vem ocorrendo há mais de 4 meses”, afirma.

Manutenção

Segundo Edgar Radeski, o superintendente também afirmou que a água é de boa qualidade e que são feitas inúmeras análises diárias para manter o controle de qualidade. “O diretor de operações, Milton Inácio Cordeiro, disse que as ETAs estão bem qualificadas e contribuem para a melhora do tratamento. Com relação a falta de pessoal, ele falou que designará mais servidores para fazer o trabalho de rua, inclusive uma força-tarefa para constatar e consertar os vazamentos”, explica Edgar Radeski.

Pessoal

“Com relação a falta de pessoal administrativo para atendimento, mandará mais profissionais e, inclusive, irá fazer um plano de trabalho para resolver os vários problemas de água em Erechim”, relata o diretor erechinense.

O diretor administrativo e financeiro da AGER, Edgar Radeski, expôs em detalhes as inúmeras situações e deficiências da Corsan na prestação dos serviços ao município de Erechim. “Numa das nossas fiscalizações de rotina constatamos que as estações de bombeamento estavam abandonadas, sem guardas para proteger os locais. Após a notificação da AGER, a Corsan tem contratado, em caráter emergencial, guardas sem armas, no sistema de portaria”, disse.

Conforme Edgar Radeski, a AGER não concorda com isso, visto que, qualquer pessoa pode se aproximar destes locais e causar sérios danos a estes equipamentos, prejudicando ainda mais o abastecimento de água de todo município de Erechim.

“Erechim enfrenta o caos, neste momento, com relação ao abastecimento de água, pela falta de pessoal da Corsan para trabalhar, chegamos a ter 30 profissionais nas equipes de conserto da tubulação. Os anos passaram, a cidade cresceu, e as equipes só diminuiram, sendo que hoje temos apenas 9 pessoas para atender toda a cidade. Isto é impossível. Todos os dias aparecem diversos rompimentos da rede em diversos bairros e a equipe precisa escolher qual vazamento está gerando maior perda para poder consertar. Isso é inadmissível”, ressalta Edgar Radeski.

“Foi informado, também, quando a falta de pessoas no administrativo do escritório de Erechim. Na semana passada, havia somente uma servidora e mais duas estagiárias para atenderem cerca de 25 pessoas que estavam na fila. A falta de investimentos da Corsan gera revolta na população, quando falamos de abastecimento”, disse.

Bairro Jabuticabal

No bairro Jabuticabal, há cerca de dois meses, destaca o diretor, Edgar Radeski, os moradores enfrentam o terror de chegar em casa depois de um dia de trabalho, sem ter água para tomar banho e nem para fazer a comida. “Isso tem acontecido nas partes mais altas do bairro. Os inúmeros vazamentos impedem que tenha a devida pressão nos canos para a água chegar até a caixa do bairro Jaboticabal. Foi solicitado uma força-tarefa, urgente, ampliando a rede, desde o frigorífico Aurora até a caixa do Jabuticabal. Talvez isto amenize a situação por um tempo”, enfatiza.

O diretor administrativo, Edgar Radeski, lembra que participou de reunião com a direção da Aurora e a falta de investimento da Corsan está prejudicando o abastecimento da população de vários bairros e, também, a produção da Aurora, que mantém quase quatro mil empregos em Erechim. “Na semana passada, foi fechado o registro em frente ao frigorífico, sem aviso prévio. A justificativa seria para poder abastecer o bairro Jabuticabal”, lembra.

Por fim, a direção da Corsan foi informada dos inúmeros problemas e reclamações sobre ligações novas de abastecimento de água. “Pedidos que deveriam ser atendidos rapidamente estão parados há mais de 30 dias, alguns casos até 45 dias. Pedimos para Corsan contratar, emergencialmente, ou deslocar equipes de outras cidades para montar uma força-tarefa e regularizar todas estas pendências”, observa o diretor.

“Segundo informações extraoficiais, a concessionária não estaria investindo no município em razão de que a empresa está sem contrato, o que é lamentável”, disse o diretor.