Você está em: Home / Notícias / Erechim é a 2ª mais desenvolvida do RS entre as cidades com mais de 100 mil habitantes

NOTICIAS

A+ A- texto
normal

28 de Março de 2016

Erechim é a 2ª mais desenvolvida do RS entre as cidades com mais de 100 mil habitantes

Erechim registra, ainda, a melhor educação entre as principais cidades gaúchas. Dados são da Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser (FEE) e levam em conta indicadores oficiais de saúde, renda e educação

Próxima a comemorar seu centenário, Erechim se consolida como um dos melhores lugares do Rio Grande do Sul para se viver. É o que revela o Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) dos municípios gaúchos. O tradicional estudo, realizado pela Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser (FEE), confirmou a cidade como aquela com a melhor educação do RS entre os municípios com mais de 100 mil habitantes. Além disso, no cenário geral das grandes cidades do Estado (quando se somam dados de saúde e renda), o município – com índice de 0,820 (considerado 'alto desenvolvimento'), fica atrás apenas de Bento Gonçalves. Desta forma, Erechim está a frente de Porto Alegre, 3a colocada, Caxias do Sul, 4a, e da vizinha Passo Fundo, que ocupa o 6o posto.
Os índices, que remetem ao ano de 2013, foram revelados esta semana pela FEE. Numa comparação com 2012, Erechim apresentou crescimeno em todos os indicadores: 3,5% na educação, 0,8% em saúde e 5,4% em renda. No geral, o crescimento de um ano para o outro foi de 3,2%, fazendo com que a cidade saltasse do 5o lugar para a 2a colocação entre as cidades com mais de 100 mil habitantes.
Para o prefeito Paulo Polis, o crescimento é fruto de ações concretas em diversas áreas, especialmente na educação e saúde. 'Para Erechim, ter a melhor educação do Estado entre as grandes cidades é motivo de orgulho, mas, acima de tudo, é um importante indicador de que estamos fazendo a coisa certa para garantirmos o futuro de nossas crianças. Não há legado maior do que este', observa o prefeito – que faz questão de lembrar que ao longo de seus 98 anos de história vários atores foram e continuam sendo importantes para que a cidade alcance esta posição de destaque.

Idese – o que é?
É a síntese do desenvolvimento dos municípios gaúchos, composto por 12 indicadores divididos em três blocos: educação, renda e saúde.
Na educação, são consideradas taxas de matrícula na pré-escola e ensino médio, percentual da população adulta com pelo menos o ensino fundamental completo, além das notas da Prova Brasil para os 5o e 9o anos do fundamental.
No quesito saúde, é levando em consideração a taxas de mortalidade, longevidade, número de consultas pré-natal por nascidos vivos e proporção de óbitos por causas mal definidas.
No elemento renda, o levantamento analisa renda domiciliar per capita e PIB per capita.

Dados do Estado
O Estado do Rio Grande do Sul registrou Idese de 0,734 em 2012 e 0,747 em 2013, tendo crescido, aproximadamente, 1,7% entre 2012 e 2013. Conforme a classificação vigente, o RS apresenta nível médio de desenvolvimento, considerando a demarcação dos níveis em alto (maior ou igual a 0,800), médio (entre 0,500 e 0,799) e baixo (abaixo de 0,499).

Educação
O Bloco Educação no Estado do Rio Grande do Sul registrou índice de 0,679 em 2013, o que representou um aumento de 2,2% em relação a 2012, quando o índice registrado foi de 0,664.

Renda
O índice do Bloco Renda, no RS, chegou a 0,752 em 2013, com aumento de 3,1% em relação ao ano anterior (0,730).

Saúde
O Bloco Saúde tem apresentado comportamento relativamente estável no tempo. Em 2012, o Bloco – no conjunto das cidades gaúchas – já tinha registrado índice de 0,809, resultado que se manteve em 2013.

Municípios por faixa de população
Conforme as estimativas populacionais da FEE, 20 municípios gaúchos têm mais do que 100.000 habitantes. Entre esses, apenas cinco apresentaram índices de alto desenvolvimento (acima de 0,800) em 2013. O primeiro colocado foi Bento Gonçalves, que manteve sua posição com índice 0,832. Logo em seguida, o Município de Erechim registrou índice de 0,820. Em terceiro, ficou Porto Alegre (0,814), seguido por Caxias do Sul (0,810) e Santa Cruz do Sul (0,808).
A última colocação no ranking dos municípios com mais de 100.000 habitantes ficou para Alvorada (0,568), município da Região Metropolitana que também obteve o pior desempenho entre todos os municípios do Estado. Outros municípios, como Viamão (0,605), também na Região Metropolitana, e Uruguaiana (0,669), na Fronteira Oeste, também se destacaram negativamente no Idese.
 
Ainda entre os municípios com mais de 100.000 habitantes, é possível observar o desempenho dos três municípios que mais se distinguiram em cada bloco do Idese, conforme apresentado na Tabela 5.
 
 
A comparação entre municípios com características demográficas similares pode ser analiticamente mais útil. Por esse motivo, dividiu-se o Estado em quatro estratos de população: (a) acima de 100.000 habitantes; (b) entre 20.000 e 100.000 habitantes; (c) entre 5.000 e 20.000 habitantes; e (d) abaixo de 5.000 habitantes. Como o ranking do primeiro estrato já foi mencionado anteriormente, destaca-se a classificação utilizando os outros estratos, que podem ser vistos na Tabela 6.

Coredes
Diversos municípios serranos destacaram-se no ranking do Idese. Assim, não surpreende que o Corede Serra tenha mantido a primeira colocação na classificação por Coredes, com índice 0,815 em 2013. Nesse mesmo ano, sobressaíram-se também os Coredes Noroeste Colonial (0,800) e Norte (0,795). O Corede Centro-Sul apresentou novamente o pior índice (0,679), permanecendo na última posição em 2013.
 
É possível discriminar esses resultados conforme os blocos do Idese. No Bloco Educação, o Corede Norte apresentou o melhor desempenho em 2013, com índice de 0,768. O aumento das matrículas, principalmente na educação infantil, e o bom desempenho nos exames de proficiência do ensino fundamental ajudaram o Corede Norte a atingir esse índice. Os outros Coredes que se destacaram na dimensão Educação foram Vale do Taquari (0,764) e Fronteira Noroeste (0,760).
Em 2013, o Bloco Renda registrou como primeiro colocado o Corede Serra, com 0,844. Logo atrás ficou o Corede Metropolitano Delta do Jacuí, onde está localizada a capital do Estado, Porto Alegre, com 0,832 — impulsionado, principalmente, pela apropriação de renda (0,884). Nessa nova série, o Corede Serra tem liderado desde 2010, seguido de perto pelo Metropolitano Delta do Jacuí. O terceiro lugar foi ocupado pelo Corede Alto Jacuí (0,807).
Por fim, no Bloco Saúde, o Corede Serra permaneceu na primeira posição (0,874 em 2013). Serra, Vale do Taquari (0,858) e Nordeste (0,857) mantiveram-se entre os três primeiros colocados, como tem ocorrido desde 2010. Embora haja volatilidade no ranking municipal do Bloco, quando observada ao longo do tempo, a série para unidades geográficas maiores, tal como os Coredes, mostra maior estabilidade.